Friday, April 19, 2024
HomePortuguêsO papel das artes marciais na prevenção do défice cognitivo

O papel das artes marciais na prevenção do défice cognitivo

Muitos adultos idosos sofrema perda das capacidades cognitivas e percetivas. A participação em atividades físicas como as artes marciais pode atenuar este declínio.

Muitas pessoas acreditam que a terceira idade está associada a um declínio da função cognitiva. Esta ideia recebeu já algum apoio científico, sendo que estudos confirmaram que o avançar da idade está normalmente associado à debilitação da memória a curto prazo e ao processamento mais lento de pensamentos e visuais. No entanto, é de notar que nem todos os processos cognitivos são afetados da mesma forma. As capacidades verbais não são afetadas pela idade, nem a memória procedimental que controla habilidades como andar de bicicleta.

Os adultos idosos utilizam diferentes partes do cérebro para efetuar a mesma tarefa que um adulto jovem, o que pode compensar o declínio cognitivo. Para além disso, nem todos os indivíduos são afetados da mesma forma; alguns adultos idosos podem efetuar determinadas tarefas da mesma forma que os adultos jovens.A razão para tal acredita-se estar relacionada com diferenças no estilo de vida e saúde. Um fator associado ao aumento da saúde cognitiva é a participação em atividade físicas como a prática de exercício físico, desporto ou artes marciais. Um artigo recente publicado no jornal científico European Review of Aging and Physical Acvtivity, escrito por especialistas espanhóis na área do declínio cognitivo ligado à idade, descreveram como a atividade física poderá ser benéfica para as pessoas de idade avançada.

Efeitos da atividade física no declínio cognitivo

A atividade física regular é benéfica para a saúde, reduzindo o risco de doenças cardiovasculares e neuro-degenerativas e prolongando os anos de vida. Ademais, muitos estudos científicos demonstram que a prática de atividade física pode atrasar o tipo de declínio cognitivo típico do avançar da idade. Os adultos idosos mais ativos, que participam em atividades como caminhar, praticar desportos ou artes marciais, possuem melhores capacidades verbais e de memória do que os adultos sedentários com a mesma idade. Tais efeitos ocorrem logo após o fim da sessão de exercício mas as melhorias da saúde são geralmente comprovadas com a prática regular.

Alguns cientistas acreditam que parte do declínio cognitivo ligado à idade são na verdade problemas ligados à perceção, ou seja, problemas na interpretação do que se ouve e vê. Os humanos utilizam a visão para entender e reagir ao mundo que os rodeia. Usar óculos pode corrigir as deficiências visuais mas não pode curar as fragilidades neurológicas relacionadas com a idade e que permitem observar e reagir aos objetos. Em particular, a capacidade de registar objetos em movimento e manter contacto diminui com a idade. Torna-se mais difícil focar determinados itens em relação a outros objetos causadores de distração e a visão periférica torna-se menos efetiva.

Qual o impacto das artes marciais?

Alguns estudos demonstraram que a prática de atividade física regular aumenta a velocidade a que os adultos idosos reagem aos objetos visualizados e melhora a visão periférica e o reconhecimento de pormenores em objetos que se movimentam a grande velocidade. Para além disso, algumas atividades podem também melhorar a cognição visual e espacial.

As artes marciais como o judo e o karaté são desportos de movimentos rápidos que muitas vezes requerem que os seus praticantes estejam atentos ao que acontece dentro da sua visão periférica. Especificamente, os praticantes de judo e de karaté mostraram melhor visão periférica e melhor capacidade de identificação de pormenores em objetos em movimento quando comparados a adultos sedentários com a mesma idade; e praticantes de tai-chi mostraram melhor visão periférica e melhor capacidade e analisar informação visual complexa em comparação a outros adultos idosos.

Em resumo, as atividades que incorporam exercícios aeróbicos e de coordenação parecem ser mais efetivos na proteção da função cognitiva. Exercícios mais simples como alongamentos e de equilíbrio parecem ser menos efetivos. Os benefícios aumentam com o acréscimo de componentes mentais. Para além dos desportos complexos como as artes marciais, estudos demonstraram os benefícios da dança e da prática de exercícios através de jogos de vídeo (“gamercising”), tal como o “Dance Dance Revolution”.

A investigação científica indica que a prática de atividade física regular pode abrandar algumas das alterações cognitivas que ocorrem com o avançar da idade. Seja a natação, as artes marciais, a aeróbica ou outro tipo de exercício, praticar atividade física de forma regular vai ajudar a proteger a capacidade de memória e as capacidades percetíveis.

 

Escrito por Bryan Hughes, PhD
Traduzido por Ângela Carvalho, PgC

Referências: Muiños, M. & Ballesteros, S. Does physical exercise improve perceptual skills and visuospatial attention in older adults? A review. European Review of Aging and Physical Activity15, 2 (2018).

RELATED ARTICLES

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Latest News and Articles

SUBSCRIBE TO OUR NEWSLETTERS

Stay Connected
10,288FansLike
820FollowersFollow
249FollowersFollow
2,787FollowersFollow

Article of the month

Augmented Reality to Augment Physical Therapy for Parkinson’s Disease

A hallmark of advancing Parkinson’s disease is a distinctive shuffling walk. Dual-task training is an effective but costly physical therapy that helps people with...

Joke Of The Day – April 19

-I always eat when I am nervous. -Well, according to your body shape, you do not know what a quiet life is...

RECENT COMMENTS

ADVERTISE WITH US

error: Content is read-only and copy-protected.